Geni é uma revista virtual independente sobre gênero, sexualidade e temas afins. Ela é pensada e editada por um coletivo de jornalistas, acadêmicxs, pesquisadorxs, artistas e militantes. Geni nasce do compromisso com valores libertários e com a luta pela igualdade e pela diferença. ISSN 2358-2618

entrevista

, , , , , , , , , , , ,

Mulheres na tecnologia

Download PDF

Convidamos cinco mulheres que habitam e constroem espaços de tecnologia. Por Coletivo Geni

 

 

2

 

 

Uma imagem recorrente ao pensarmos espaços de formação, discussão, estudo e criação de tecnologias é de serem ambientes predominantemente masculinos. Sabendo disso, levantamos algumas questões e convidamos mulheres que habitam e constróem tais espaços a nos dizer um pouco da especificidade de ser mulher na chamada área da tecnologia. Mantivemos as mesmas perguntas a todas, pensando em fazer um texto corrido com as entrevistas, mas ao receber as respostas vimos que a experiêcia e ciência de cada uma perderia a força em nosso arranjo. Assim, optamos por publicar na íntegra as respostas de Aline Freitas, Camilla Gomes, Erin Pinheiro, Estrella Soria e Nessa Guedes sobre machismo e tecnologia, segurança, mercado de trabalho, representatividade de mulheres e o que mais apareceu ao longo do convite!

 

alinefreitas

 Aline Freitas

“Eu assumi minha identidade feminina nessa época em que estava envolvida com o CMI. Tive muito apoio das mulheres do coletivo, que me convidaram para fazer parte de um coletivo de mulheres ligadas à tecnologia, chamado Birosca. A Birosca foi onde pude me desenvolver de forma derradeira. Tínhamos uma servidora web que podíamos usar como um  laboratório de aprendizagem. E isso foi um ponto de partida para que eu pudesse aprender e me desenvolver.[…]” >>>leia mais<<<

 

 

camillagomes

Camilla Gomes

“Em outras experiências, em que trabalhava com suporte e manutenção, tive muita dificuldade em “passar confiança” para os clientes. Inclusive, teve uma vez que tomei um chá de cadeira por horas porque não acreditaram que a empresa tinha mandado uma técnicA para resolver o problema – sendo que resolvi em meia hora o que outros técnicOs não tinham conseguido. Na maioria dos lugares em que atendi, eu me sentia cobrada e vigiada o tempo todo, como se lá no fundo torcessem pra que eu cometesse algum erro. Afinal, como uma mulher consegue resolver algo que nenhum homem conseguiu?” >>>leia mais<<<

 

 

erin pinheiro

Erin Pinheiro

“[…] Acho que, se fossem realmente esforços de igualdade de gênero [das empresas], já estaríamos num lugar bem melhor hoje em dia e os problemas (discriminação, diferença salarial, entre outros) não existiriam mais.” >>>leia mais<<<

 

 

 estrella print2

Estrella Soria

“Minha relação com a tecnologia passou pela defesa da comunicação e da pessoa, do ser humano. Isso passa pelo respeito à privacidade também com uma postura de não controle, quando este controle existe  subjugando, também reivindico a ação e o exercício dessa liberdade para poder comunicar. […] O Rancho Electrónico  é um projeto do qual participo atualmente, um hackerspace.  A forma como participei inicialmente foi sonhando em ter um espaço assim.  Não somente eu, mas conspirando com outras compas que tinham vontade de ter um espaço,  e de aprender  a ter um espaço, poder tocar nossas próprias realidades, desafiar nossas limitações e poder compartilhar em um lugar.” >>>leia mais<<<

 

 

 nessa guedes

Nessa Guedes

Inclusive, no início da era do processamento de dados, lá nos idos dos anos 1940 aos 1970, as mulheres dominavam a área. A partir do momento em que inventou-se o computador pessoal e ele virou um artigo altamente rentável, imediatamente os homens passaram a dominar. É incrível. Sempre que algo começa a dar dinheiro, tratam de encomendar um backlash para eliminar as mulheres da área. Seja através da mídia, através do assédio moral, etc.” >>>leia mais<<<

 

 

 

 

 

 

Ilustração: Nara Isoda

, , , , , , , , , , , ,
beatriz – 20 de maio de 2015 - 14:58

Serão publicadas mais partes da entrevista? Ou é só isso

carolina – 21 de maio de 2015 - 19:32

beatriz! clique no nome de cada entrevistada ou no >>>leia mais<<< para ler na íntegra!

7Belo #7 | Não lidos – 17 de agosto de 2015 - 12:36

[…] de entrevistas “Mulheres na tecnologia“, da revista […]

HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>