Geni é uma revista virtual independente sobre gênero, sexualidade e temas afins. Ela é pensada e editada por um coletivo de jornalistas, acadêmicxs, pesquisadorxs, artistas e militantes. Geni nasce do compromisso com valores libertários e com a luta pela igualdade e pela diferença. ISSN 2358-2618

religião

, , , , , , , , , , , ,

A Bíblia que condena os homossexuais ou Na cama com Levítico

Download PDF

Levítico no dos outros é leite e mel. Agora, tente aplicá-lo a si mesmo e depois me conte. Por Wilson Gomes

Levítico é um dos meus livros preferidos da Bíblia. Não exatamente por ser um tratado sobre a ternura entre os seres humanos ou sobre um Deus amoroso, que disso nele nem vestígio há. Gosto é da experiência etnográfica que esse livro proporciona, porque nele estão fixados e expostos, sem disfarces, filtros ou peias, as mentalidades, o sistema moral e legal de um povo antigo e do modo como conecta tudo isso com a sua experiência religiosa. O retrato não é bonito, longe disso, mas é muito interessante.

 

Em tempo: é Levítico o livro que provê a “autorização bíblica” mais recorrente para a homofobia evangélica. Os católicos não curtem muito esse livro, usado contra eles pelo proselitismo dos evangélicos populares há muitas décadas, principalmente por causa da proibição de imagens. Na verdade, é um livro judaico por excelência e as referências são exclusivas para “os israelitas”, mas os evangélicos adoram se sentir parte de passado nobre e remoto e entendem que, mediante algum hocus pocus cujo sentido me escapa, ganharam como herança o direito de se incluir entre os israelitas do Antigo Testamento. O livro é simplesmente o código sacerdotal e teocrático da comunidade política de Israel (parte do conjunto legal do Pentateuco) e refere-se a uma experiência histórica que terá acontecido lá por 1.200 a.C. (segundo uns) ou 1.400. Faz um tempinho, né?

 

Como Levítico é base do argumento “a Bíblia condena”, deixem-me dizer alguma coisa sobre esse livro, ainda que não dê para fazer isso de maneira muito breve. Vejam aí se vocês gostariam, como querem os evangélicos populares, que esse livro fosse a norma e o farol moral das suas vidas.

 

Um livro ameaçador e sem concessões

 

Primeiro, o livro é uma lista de interdições sociais e morais, atribuídas diretamente a Deus (ordem cósmica) e a Moisés (ordem política) – “Disse Deus a Moisés…” está para os israelitas como o “a Constituição diz” está para nós. Só que há mais ou menos 2.900 anos antes que a civilização cogitasse distinguir entre comunidade religiosa (o liame social estabelecido pela fé e pelos laços étnico-religiosos) e comunidade política (ou Estado, em que o cimento social é dado pela lei). E numa fase em que leis sobre pureza e impureza se misturam com regras de higiene e normas sobre agricultura, tudo junto, misturado e coordenado pela autoridade dos sacerdotes (levitas). É como se hoje prescrições religiosas fossem ao mesmo tempo Código Penal, políticas públicas e material ideológico para formar a ideia de povo. Puxado. Em Levítico, violações leves das regras, todas descritas em detalhes, podem ser purificadas com rituais (em geral, sacrifícios de animais e de produtos agrícolas), e as graves são resolvidas com penas de morte mesmo, que 3.400 anos atrás não estavam para brincadeira.

 

Segundo, é um livro duríssimo, ameaçador, sem concessões. O “Deus” que empresta voz às prescrições é, por consequência, um sujeito assustador, ciumento pra caramba (“te salvei do Egito, você é meu, mas vou te botar na linha” é o mote) e ameaçador. Não tem a menor noção de direitos humanos e misericórdia. Terceiro, não tem hierarquia nas regras, não, vem tudo misturado – pecou, perdeu! Quarto, 98% das regras se aplicam a homens. É um mundo masculino. Peca-se com mulheres, mas mulheres não pecam. Fora a obsessão com menstruação, quase não se menciona punição a mulheres.

 

É bom lembrar que esse Levítico que abomina “homens que se deitam com homens como se fossem mulheres”, admite a escravidão numa boa, viu? Só avisa que um israelita não pode escravizar outro. De resto, está liberado. Lv 25, 44-46: “Vossos escravos, homens ou mulheres, tomá-los-eis dentre as nações que vos cercam; delas comprareis os vossos escravos, homens ou mulheres. Podereis também comprá-los dentre os filhos dos estrangeiros que habitam no meio de vós, das suas famílias que moram convosco dentre os filhos que eles tiverem gerado em vossa terra: e serão vossa propriedade. Deixá-los-eis por herança a vossos filhos depois de vós, para que os possuam plenamente como escravos perpétuos. Mas, quanto a vossos irmãos, os israelitas, não dominareis com rigor uns sobre os outros”. Não é certamente uma boa premissa para um livro considerado tão santo e tão verdadeiro que dele não pode se desviar uma vírgula quando se trata de condenar os homossexuais. Então, não se enganem, meus amigos, o mesmo Levítico hoje usado para a “condenação bíblica” dos homossexuais foi secularmente usado para a “autorização bíblica” à escravidão dos não cristãos.

 

O santo livro também se ocupa imensamente de purezas e impurezas morais, religiosas e físicas (não há qualquer distinção entre os níveis). Lv 11 estabelece os animais que podem ou não ser comidos. Não podem ser comidos coelhos, lebres, porcos, peixes sem escama, assim como avestruz, cisne, cegonha, garça, morcegos (viu, Ozzy?), toupeira, rã e camaleão. Réptil de nenhuma espécie, “uma coisa abominável” (Lv 11,41). Banha de porco e toucinho, mesmo de gado, torna você impuro também (Lv 7, 22-23). Sarapatel, chouriço, molho pardo ou qualquer coisa que leve sangue são, literalmente, pecado (Lv 7,26; 17,11). Aposto que Feliciano e Marisa Lobo nunca tocaram num torresminho ou costeleta. Porque basta encostar em um desses animais proibidos, vivos ou mortos, no todo ou em parte, e você fica automaticamente impuro. Para ficar puro de novo só sacrificando algum bicho ritualmente. Se uma linguicinha que seja cair no fogão, tem que destruir o fogão (Lv 11,35).

 

Sabe o que mais é impureza total segundo o livro santo e verdadeiro? Mulheres que deram à luz. Sim, senhoras. Mas o nível de impureza varia, viu. Se o bebê for homem, a mulher fica impura por sete dias; se for uma menininha, por duas semanas (Lv 12, 2, 4-6). Entenderam a sutileza da dosimetria? E só passado o tempo em que é “imunda” (sorry, it’s the Bible!) é que poderia matar algum bicho “em sacrifício pelo pecado”. Pecado, sim, senhora, tá pensando o quê? E sabe quando mais as mulheres são impuras? Acertou quem pensou “todo mês”. Menstruou, pecou (Lv 15,19) – impura por sete dias, viu? Se alguém tocar nela (não é transar, não, é só encostar a mão mesmo) naqueles dias, fica impuro até o fim do dia; se uma mulher menstruada sentar em algum lugar, o lugar fica impuro (Lv 15,24). Se algum parceiro na secura transar com ela nesse período, pega sete dias de gancho de impureza também, que é para aprender a não mexer com impuras.

 

A parte sobre homossexualidade vem no meu capítulo favorito, Lv 18, que é todo para garantir que os israelitas não copiem os costumes dos egípcios, de onde fugiram, nem dos cananeus, cujas terras eles invadiram, numa boa, “porque Deus mandou”. Por isso, a lista é aleatória, acho que alguém foi vendo do que não gostava nos costumes dos outros povos e saiu proibindo tudo.

 

O versículo 20 diz que os homens não devem ter relações sexuais com a mulher dos outros. Notem, contudo, que no século 14 a.C. não há norma sobre o comportamento sexual das mulheres, exceto uma regra que proíbe que copulem com bichos. Além disso, como veremos adiante, um homem transar com uma escrava é, digamos assim, uma contravenção, e não um crime. Parece, portanto, que o problema consiste no fato de a mulher ser “dos outros”.

 

Moloc e os moleques

 

Prestem atenção agora a três versículos seguidos de Lv 18. Lv 18,21 diz: “Não darás nenhum dos teus filhos para ser sacrificado a Moloc”. Ok, eu gosto dos meus filhos e não conheço nenhum Moloc, então, nada de sacrificar um deles. Sim, meus pagãos, Moloc deve ter sido um deus, e nesta época a Bíblia admitia haver outros deuses, o que distinguia o dos israelitas é que era exclusivo daquele povo. O único requerimento do deus particular do antigo povo de Israel era que, já que ele foi legal e os retirou do Egito, fosse considerado o maior de todos (Ex 20, 3: “Não terás outros deuses diante de mim”). Lv 18,22 salta bruscamente da competição com Moloc para “Não te deitarás com um homem, como se fosse mulher: isso é uma abominação”. Estão no mesmo nível: nada de degolar o meu moleque para agradar a Moloc e nada de ser passivo numa transa gay – a pena, inclusive, é a mesma. Com a mesma incompreensível coerência, Lv 18,23 proíbe que homens transem com animais. E, pela primeira vez, acha que é melhor estender a interdição também às mulheres. A galera por lá devia andar a perigo, não é? “Uma mulher não se prostituirá a um animal: isso é uma abominação.”

 

Levitico01

 

Aliás, há apenas quatro pecados “só para mulheres” em Levítico: parir, menstruar, transar com animais e fazer adivinhações. Faz sentido para vocês, meninas? As lésbicas, entretanto, tiveram algum lucro, já que não há qualquer interdição que mulheres se deitem com mulheres. Que tempos! Adoro as listas supercoerentes de Levítico: parir no mesmo nível que copular, sacrificar o filho é praticamente o mesmo que sexo entre homens.

 

O Antigo Testamento hebraico não tem uma palavra para “homossexualidade” ou “homossexualismo” – a preocupação é com o comportamento. Não se pode transar com parentes, não se pode transar com bicho (nem as mulheres podem, está confirmado), não se pode transar com a mulher de outro homem e não se pode transar com outro homem “como se fosse mulher” (em Canaã a preocupação era só com o sexo homossexual passivo, viu meninos?).

 

Depois de cuidar do sexo, no capítulo 18, Levítico dá regras sobre agricultura (não se pode misturar dois cereais diferentes no mesmo campo) e dispara mais um monte de mandamentos no capítulo 19, dentre os quais dois dos meus prediletos: a proibição de xingar surdos (v. 14) e a de dar rasteira em cegos. Isso me parece aquelas proibições que se leem por aí em locais públicos, como a de urinar no chão do banheiro ou de cuspir no metrô. Como ninguém proíbe o que as pessoas naturalmente não fariam, derrubar ceguinhos e dizer palavrões a surdos devem ter sido duas das diversões locais no século 14 a.C. O meu terceiro mandamento predileto está em Lv 19,27: “Não cortareis o cabelo em redondo, nem rapareis a barba pelos lados”. Se eu fosse Moisés, completaria com um mandamento só para mulheres “Não abusareis do animal print nem vos enfeitareis com mais de cinco acessórios dourados ao mesmo tempo”. Cada um com seu gosto: Moisés curtia um barbão, eu não curto peles de répteis.

 

Acho particularmente interessante o Lv 19,20, especificamente sobre sexo com escravas. Notem que se o cara for para a cama com a mulher de alguém, tem que morrer, ele e a mulher. Pois bem, “se um homem se deitar com uma mulher escrava desposada com outro, mas não resgatada nem posta em liberdade, serão ambos castigados, mas não morrerão, porque ela não era livre”. Basta oferecer um carneiro como “sacrifício de reparação” e está liberado. Alegrem-se, meninos: é só controlar quantos carneiros ainda se tem no pasto e se jogar na fornicação; só não se pode fazer com a mulher que pertence a outro homem. É a origem do “lavou [com sangue de cordeiro], tá novo”.

 

Na lista do proibidão ainda tem: usar roupas tecidas com duas espécies de fio, comer os frutos das três primeiras colheitas da sua roça (a agroindústria deve praticar muito isso em Israel hoje) e fazer tatuagens com figuras (“Wilsão, amor para sempre” está superliberado).

 

No capítulo 20, o santo livro que os homofobíblias querem que substitua o nosso Código Penal trata das penas pela violação das interdições. Sacrificar filhos a Moloc (acho um nome digno para um deus), amaldiçoar pai e mãe, fazer adivinhações, transar com mulher casada, madrasta, nora, ou outro homem “como se fosse mulher” (v. 13), com sua mãe ou sua filha, ou com bicho, tudo isso se paga com a morte. Incesto, adultério masculino, sexo homossexual masculino, práticas divinatórias, zoofilia e amaldiçoar os pais estão todos no nível máximo da transgressão. E há penas de excomunhão, como no caso de se transar com uma mulher menstruada, comer sangue de animais (Lv 17), fazer sacrifícios fora do templo. No capítulo 21 tem uma dessas penas adoráveis da lei mosaica (Lv 21, 9): se a filha de um sacerdote tiver relação sexual sem ser casada “será queimada no fogo”. Nice and sweet! Em Lv 24, 17-20 se apresenta, enfim, toda a doçura da Lei do Talião, a que manda cobrar olho por olho e dente por dente. Tão levítico!

 

Excomunhão e pena de morte são para os indivíduos, mas se essas doces leis não forem aplicadas, o deus de Levítico manda dizer que vai detonar geral. E o diz sem palavras suaves nem misericordiosas no final do livro (Lv 27): mandará doenças, soltará feras “que devorarão vossos filhos” (v. 22) e animais de criação, lançará a peste, entregará o povo aos seus inimigos, destruirá as cidades e, por fim, “comereis a carne dos vossos filhos e filhas” (v. 29). Canibalismo total no horizonte.

 

Não se pode fazer uma moral seletiva

 

Eis o espírito da “Bíblia que condena os homossexuais”. Quando alguém me diz que organiza todo o seu julgamento moral sobre a homossexualidade a partir de Levítico eu só consigo pensar que ele nunca leu ou entendeu Levítico ou não tem a menor ideia do que seria organizar sua vida e a experiência social por esse livro. Ao pé da letra, Levítico é arcaico, anacrônico, cruel. Muito cruel. Como alguém pode sequer imaginar que uma sociedade de 3.400 anos atrás poderia prover a norma moral e legal para sociedades democráticas do século 21 é algo que me escapa ao entendimento. E como se pode sequer suspeitar que um livro escrito por sacerdotes e para justificar o domínio social dos sacerdotes (claramente, o livro é feito para colocar a tribo de Aarão no topo do poder político) possa ser base moral, intelectual e legal para sociedades laicas, baseadas no conhecimento científico, na tolerância moral, no Estado de Direito, na ideia de direitos humanos e no princípio da igualdade entre todas as pessoas?

 

E, se alguém diz que o livro deve ser seguido ipsis litteris porque é fruto da revelação de Deus, eu só consigo pensar que essa pessoa não tem a menor ideia do que possa teologicamente significar “revelação”. Uma pessoa dessas só pode ter uma concepção infantil da fé, segundo a qual um deus que tem semelhança aos homens teria ditado, palavra a palavra, e já em sua forma final, cada letra dos livros sagrados do judeo-cristianismo. Uma compreensão dessas está para a teologia como a crença em dragões e unicórnios está para o universo científico.

 

De qualquer modo, o teste definitivo a que devem ser submetidos os que querem fazer de Levítico a régua e o compasso para a sua decisão moral (e a dos outros) é exigir-lhes coerência. Primeiro, não se pode fazer uma moral seletiva: não há razão aceitável para dizer que vale a regra da “abominação homossexual” e não a outra centena de regras que abominam milhares de comportamentos humanos, práticas, pessoas e coisas, inclusive os tabus alimentares. Segundo, não se pode ficar só com as proibições, então temos que assumir todo o quadro moral: passaremos os dias fazendo sacrifícios rituais pelos nossos pecados matando ovelhas e cordeiros nos altares das cidades? Faremos excursões aos povos vizinhos para adquirir escravos e escravas (sexo à vista!) que passaremos aos nossos filhos como propriedade? Toda a tarde reuniremos os adúlteros da cidade para um ritual coletivo de apedrejamento básico? Alguns dias por mês não faremos um carinho sequer nas nossas filhas e não tocaremos sequer as roupas das nossas mulheres para evitar que fiquemos impuros com a sua imundície moral? Proibiremos o abate de porcos e o uso de gordura animal de qualquer espécie? Uma vez ou outra, tocaremos fogo em alguma mulher para honrar a Lei do Senhor?

 

Porque é lícito exigir que se alguém escolhe Levítico como regra moral para decidir o que é certo e errado para os outros, tem que assumi-lo por inteiro para si e viver segundo as suas normas. Mas, não: principalmente essas pessoas, em geral, não aceitam examinar racionalmente a norma moral que eles depreendem desse livro. Não seriam anacrônicas e excessivamente relacionadas a mentalidades que, depois, foram superadas? Será que o propósito do livro, na verdade, não era garantir a fecundidade, e não há razão hoje para mantermos a norma X, uma vez que a norma Y e Z claramente não podem ser aplicadas? Essas perguntas, que caberiam num universo moral conduzido pela razão, são, em geral, recusadas dogmaticamente. Então, só resta a solução contrária: quem crê na norma X de Levítico tem que viver todo Levítico. Aí, eu quero ver. Levítico no dos outros é leite e mel, agora tente aplicá-lo a si e depois me conte.

 

Na verdade, gente que diz “sigo a Bíblia”, antes de cuspir uma condenação à orientação homossexual, faz mais mal à religião do que aos homossexuais. Afinal, se leitores e seguidores da Bíblia não forem moralmente superiores aos do Mein Kampf, mais vale que leiam o livro de Hitler, já que é mais curto. Se os filhos da luz forem mais preconceituosos e malvados e tiverem o coração mais impermeável (que é a definição de “impiedade”) do que os filhos das trevas, melhor seria sair com os segundos, sabidamente mais espertos e mais divertidos. Da minha parte, nunca consegui identificar um único artigo da fé cristã violado pela admissão da homossexualidade como parte da natureza humana. Na verdade, a homofobia de base religiosa parece-me menos um ato de fé do que uma via reta para a impiedade.

 

Wilson Gomes é professor titular da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia.

Ilustrador convidado: Mário César.

, , , , , , , , , , , ,
Pedro – 1 de outubro de 2013 - 9:57

O texto ficou muito bom, exceto por (ao meu ponto de vista) haver uma interpretação tendenciosa no trecho “Não te deitarás com um homem, como se fosse mulher”, onde “como se fosse mulher” é empregado explicitamente à segunda pessoa do singular, quando obviamente também pode se empregar à terceira pessoa do singular. No mais, acompanho e sou fã dos textos de Wilson Gomes.

Grato.

Diego – 2 de outubro de 2013 - 9:51

Há algumas interpretações fundamentadas em conjecturas, Pedro. Primeiro porque, no contexto geral, quem crê na divindade de Cristo, automaticamente considera caducadas várias partes do velho testamento. A Bíblia é relativizada porque pode mesmo. Se você tomar Jesus como pedra angular e basear nele a compreensão da Bíblia inteira, talvez se surpreenda com a maneira a qual tudo será entendido de uma forma tão diferente. A parte sobre Moloque, por exemplo: ninguém na Bíblia admite politeísmo. Ninguém admite a existência de Moloque ou Baal. Admitem cultos a Moloque e Baal, “ídolos de madeira, ouro e prata”. O antigo testamento, quase em totalidade, é fonte de informação histórica ao verdadeiro cristão. Nada mais. Assim como até o novo testamento pode ser relativizado quando é escrito por homens. Homens são homens. A única coisa que não tem como ser relativizada na Bíblia toda, é aquilo que foi dito por Cristo.

Victor – 1 de outubro de 2013 - 10:20

Wilson, vou ter que concordar contigo, realmente o livro de Levítico foi escrito para o povo de Israel, está cheio de costumes “antiquados” para serem seguidos hoje. Porém EU, (não vou colocar NÓS os evangélicos em geral, pois muitos deles me envergonham) não sigo essa passagem de Levítico para crer que a homossexualidade é algo pecaminoso, sigo o texto de Romanos 1: 22 a 28, vou citar um trecho abaixo:
“Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;”
Romanos 1:26-28
Quero deixar claro que EU (novamente EU) não apresento o texto que apresenta a homossexualidade como pecado para trazer condenação, até porque Deus ainda não condenou ninguém, enquanto você estiver vivo ainda não há condenação. Apresento o texto para que se alguém sentir necessidade de mudança, Deus a faz.

Robson – 1 de outubro de 2013 - 16:26

Quem diria que, mais de dois mil anos depois, após a revolução cientifica e o iluminismo, as pessoas ainda teriam capacidade(!) de regredir mentalmente a um passado tão longínquo, atrasado, e acreditar em palavras e ordens tão cruéis e nojentas, como punir pessoas por se AMAREM. Não dá pra entender, de verdade.

A necessidade que seu deus deveria ter era a de ensinar seus filhos amarem e não curá-los do amor.

Diego – 2 de outubro de 2013 - 9:35

Pare de dar ouvidos às opiniões alheias e leia os Evangelhos. Considere somente as palavras de Cristo e relativize todo o resto na Bíblia. Se você realmente está buscando o Deus, como diz, então o encontrará.

Renata Mikami – 1 de outubro de 2013 - 10:39

O deus da biblia e um deus que adora guerras e virgens.” Matem todos, nao poupem ninguem, so as VIRGENS!!!! ” Eu nao aguento isso !!!! Rsrsrsrsrsrs.. Como fala um amigo meu : O Brasil vai ficar igual o Ira, dominado pela biblia, so que la e pelo alcorao. A bancada evangelica esta dominando. Religiao que se mete com politioca nao presta. Foi assim com a igreja catolica que matou milhares de pessoas inocentes junto com Hitler. Podre !!!

ANTONIO CRUZ – 1 de outubro de 2013 - 11:45

PARABÉNS PELO EXCELENTE COMENTÁRIO… O LEVÍTICO É TUDO ISSO E MUITO MAIS… NÃO SÓ UM LIVRO DOS SACERDOTES… NÃO SÓ DO CULTO… MAS ACIMA DE TUDO UM LIBRO ÉTICO… DO DIREITO… DO SOCIAL

Candy Haesbaert – 1 de outubro de 2013 - 11:49

muito útil e lúcido em tempos de mega hipocrisia e contradições religiosas. que esse tempo de se ter de lutar por respeito e liberdade contra fundamentalismo religioso passe logo e sejamos realmente um mundo laico e evoluído!

Caio – 1 de outubro de 2013 - 12:33

Política e religião, são a verdadeira “alma” dentro das instituições, altas doses de hipocrisia e contradições fazem parte da receita mágica.

O homem criou Deus a sua imagem e semelhança, se alguma coisa mudar, vai ser por questão de $$$ e não por causa de compaixão.

Bráulio – 1 de outubro de 2013 - 13:06

Que viagem, usando ironia pra falar de Deus.

Michel – 14 de dezembro de 2013 - 10:21

Usar Ironia não pode, mas usar ódio pode?

marcelo – 1 de outubro de 2013 - 13:46

muitobom. bom mesmo. Mas a ilustração tá errada. Vc escreve sobre um livro, costumes e normas de muito tempo antes de Cristo. Certamente Cristo não seria intolerante com homossexuais, ,muitos menos com mulheres mestruadas…. A Ilustração deveria ser com um Pastor com a biblia na mão, ou no suvaco….

Carlos Barros – 1 de outubro de 2013 - 15:34

Texto muito bem escrito. Análise interessante do Levitico. Parabéns. Precisamos re-interpretar as espiritualidades.

Ana – 1 de outubro de 2013 - 15:41

Texto ótimo, ri alto várias vezes (animal print tinha mesmo que ser condenado). Duas coisas que me deixam emputecida: 1) quem diz que Deus é o juiz mas adora se colocar no lugar dele pra julgar todo mundo! (na minha cabeça faz mais sentido Deus deixar entrar no paraíso gays alegres e educados, do que heteros intolerantes e amargos… pensa bem, o paraíso ia ser chato p c***!). E 2) Gente que pinta Deus como um sujeito cheio de ira e impiedoso. Para tudo né! Deus é lindo, é paz e amor… e pra Ele não importa se você é gay, negro, gordinho, ou ateu, Ele te acha a pessoa mais sensacional deste mundo.

Julio – 1 de outubro de 2013 - 16:19

Olá Wilson! Espero que leia meu comentário. Rs

Muito bom seu texto e sua compreensão sobre o livro de Levíticos! Para falar a verdade você sabe mais sobre esse livro do que a maioria das pessoas que se denominam evangélicos!

Você está totalmente certo em dizer que esse Livro não pode ser levado em consideração sozinho como padrão moral para O CRISTÃO, mas sim toda a bíblia deve. Quanto a questão do estado LAICO, é exatamente isso mesmo, o ESTADO tem que ser Laico! O único estado que pode se dar o direito de seguir as leis Israelitas é o próprio estado de ISRAEL. Nenhum outro deve fazer isso.

Apenas uma consideração que como cristão me sinto compelido a fazer: a Bíblia é um livro incrível onde determinações feitas no velho testamento (antes de cristo) são esclarecidas mais para frente no Novo Testamento (Depois de Cristo). Ele descreve claramente como os cristãos não-judeus (chamados de gentios) são julgados e PERDOADOS diante de Deus, e principalmente o aspecto de Jesus como Salvador onde teve um papel fundamental na abolição dos sacrifícios Judeus para os não-judeus (gentios).

Espero ter sido claro. Na minha humilde opinião a Bíblia é um livro fascinante e meu padrão pessoal como cristão.

Peço apenas que não me confunda com os homens que misturam religião com política ou usam a religião como caminho de enriquecimento. A própria Bíblia condena muitas coisas de dentro do meio cristão moderno e afirma em profecias que muitos que se dizem filhos de Deus no futuro serão lançados ao inferno junto com os outros.

Abraços. Caso queira conversar me contate.

C. I. Gutierrez – 1 de outubro de 2013 - 17:31

Não vou perder meu tempo comentando, apenas uma observação sobre uma das diversas respostas ao teu texto. Amar? Que confusão faz o leitor ao falar de Amor! Santo deus das letras minúsculas! “Trepar” não é amar meu preclaro senhor, é “fuder” mesmo! Não confunda “alhos com bugalhos”. De resto o autor escreve muito bem, como não poderia deixar de ser, em sendo um professor de universidade pública, e da área de comunicação, obrigado a saber escrever; sem contar que é titular. Sem mais delongas, concluo, que a enrolação foi muito boa utilizando-se de um texto milenar e com a tranquilidade de não haver debatedores a altura, apenas leitores desprovidos da possibilidade de apresentarem suas antíteses à tese aqui escrita.

Márcio – 12 de outubro de 2013 - 3:22

Gutierrez. Antítese até há. O problema não é apresentar a antítese. É apresentá-la a quem não quer discutir como uma pessoa adulta e, sim, apenas debochar. 🙂

Em tempo, gostaria de ver o Sr. Gomes aí escrever este mesmo texto, só que desta vez criticando o Corão. Afinal, no corão também se condena a homossexualidade… e de maneira muito, mas MUITO mais pesada mesmo que a Bíblia. Vamos ver até onde as convicções dele vão sem medo de se tornar o novo Salman Rushdie, ou se é só um problema de DNA (Demasiada Necessidade de Aparecer). 🙂

silvio – 1 de outubro de 2013 - 17:39

Atualmente, me julgo sem religião, ou ateu segundo alguns, mas até por ter tido uma criação judaica e ter feito estudos rabínicos, conheço um pouco do Vayikrá (Como o chamamos), assim como os outros livros da Torá. Concordo com tudo o que foi dito, mas acrescento que o livro, na versão utilizada pelos não judeus, geralmente é uma tradução do ‘Liber Leviticus’ e a versão brasileira comumente usada pelos evangélicos, é uma tradução feita por João Ferreira de Almeida, um português que só foi aprender o hebraico quando adulto. Acrescenta-se ainda, que suas traduções foram em grande parte destruídas e revisadas várias vezes desde sua publicação, principalmente por conta dos erros contidos nela. Em Israel, o Levítico é apenas um livro religioso, não sendo base para o sistema judiciário ou legislativo que é regido pelas Leis Básicas de Israel, claro que algumas de suas letras ainda são aplicadas no dia a dia, mas dentro de um certo princípio lógico, visto que a religião foi quem manteve os judeus como Nação, mesmo quando dispersos. Quanto a a alguns fanáticos se considerarem os “novos judeus”, com todo o respeito, isso é uma piada

Linda evangelista – 1 de outubro de 2013 - 19:43

kkkkk Fiquei pensando como podem existir visões a respeito de Deus dessa forma, intolerância com a figura do que Deus realmente representa. Recalcados, é o mínimo que se pode definir autores como esse do texto acima. Irresponsabilidade e semeadura de preconceito. Desde quando podem falar do desconhecido por conceitos pré concebidos fundamentados em intolerância religiosa?
É isso? Se corrige ” preconceito com preconceito?

Leandro – 1 de outubro de 2013 - 19:59

Toda essa discussão é perda de tempo, pra quem entende a bíblia sabe que o velho testamento é apenas para entendermos a história, até a chegada de Jesus. Pra quem é cristão, devemos debater o seguinte: o que Jesus proibiu? só isso.

Silvani – 1 de outubro de 2013 - 20:27

Quero dizer ao tão idolatrado professor, que a Bíblia não é um livreto para ser lido e interpretado a bel prazer,pois ela é como uma espada de dois gumes que pode penetrar até a divisão da alma,juntas e medulas.

Cícero – 1 de outubro de 2013 - 20:53

Ai, gente, francamente: sério que vocês levam a Bíblia a sério em 2013? Quero o audiobook do Levita-cus narrado pela Diamanda Galás. Vai ser lindo!

Elisangela Fernandes – 1 de outubro de 2013 - 21:17

Olá! Sempre me assustou a discussão acerca dos textos bíblicos pois ela sempre inflama ardores preexistentes que se misturam ora religiosos, ora políticos, ora científicos. Não há o que se discutir se o foco não for o mesmo: do ponto de vista comum, muitas discussões sadias podem surgir dali. O que quero dizer é que se faço uma análise puramente política dos escritos bíblicos, não posso querer discutir minhas conclusões com aqueles para os quais esses textos suscitam algo sobrenatural, divino, etéreo. Mas, quero dizer também que se me sinto tocada de uma forma divina pela bíblia não posso querer que o resto do mundo me siga nesse sentimento. Há que haver respeito.
Eu, particularmente, acho a bíblia um livro fascinante por nos permitir conhecer como o homem viveu naquele tempo; como se organizava socialmente, como se provia, em que acreditava… um registro histórico riquíssimo! Pois é de lá que viemos e (minha crença!) evoluímos como seres humanos. Apenas isso.

Cícero – 1 de outubro de 2013 - 23:27

Legal Elisangela! Concordo em parte com o que você diz. Que ótimo que tem gente achando que evoluímos como seres humanos. Para mim a prova maior de que deus não existe é o próprio ser humano. Aliás, precisa avisar o pessoal que é “criacionista” disso, porque para a maior parte deles a gente não evoluiu dos macacos (tadinhos dos primos símios, que têm que lidar com esse tipo de comparação).
Se a Bíblia for vista como apenas um livro – assim como “Sabrina”, “Júlia”, “Quem mexeu no meu queijo?”, “Harry Potter” ou “Cinquenta tons de cinza” -, não vejo problema nenhum. Pelo contrário: que leiam, achem lindo, se emocionem ou se excitem. Vou lutar até o último minuto para as pessoas terem essa liberdade, de escolher o livro que quiserem para usar como representante de suas vidas.
Agora não venham com essa de “palavra de deus”, não, porque, honey, não cola. Pode ser para aqueles que acreditam, mas eu acredito em Lysoform e nem por isso saio por aí borrifando-o na cara dos outros. Cada um que conviva com as suas bactérias. Acho que a gente tem que ter mais noção e parar de ficar aplicando regras que o bonde do recalque escreveu na era pré-Matusalém, e hoje, em 2013, querendo que a gente lide com tudo isso como sendo a luz, a verdade, a salvação. Já que deus, todo poderoso, naquela época ditava a palavra e o povo escrevia, ele que desça pessoalmente agora e venha fazer uma performance (como as da Beyoncé) para transmitir sua própria palavra.

Renata Mikami – 2 de outubro de 2013 - 2:38

Nossa !!! Adorei !!!! parabens !!!! Penso como vc.

Michel – 14 de dezembro de 2013 - 10:26

Pior é que a gente é uma galera muito maior no mundo do que éramos naquela época e Deus falou esse monte de coisa super importante pra eles e não pra gente. Deus mandou ferrar com Sodoma e Gomorra porque tinha muito viado e sapatãs, mas não explodiu a Alemanha quando tava cheia de campos de concentrações…

sidney – 2 de outubro de 2013 - 9:15

gostei de mtas coisas nas observações feitas, aprendi duas coisas na vida que fazem a diferença pra mim primeira”quer ser feliz ou quer ter razão”, segunda “toda situação tem tres lados, o meu o seu e o lado certo”, nó viajamos mto na maionese, quando temos certeza de algo, hummmm, ai vem caca. DEUS É DEUS E . “PONTO”

Paulo – 2 de outubro de 2013 - 9:21

Olá!

Adorei o texto e o blog, vou seguir.

Tenho uma reclamação sugestão: vários amigos reclamaram comigo que o fundo rosa atrapalha bastante a leitura. Alguns me disseram não ter terminado o texto por esse motivo. Eu entendo que exista um porque de ele ser dessa cor, mas acho que seria interessante pensar em um fundo mais claro pra deixar a leitura mais confortável.

No mais tá tudo ótimo. 🙂

Hugopoint – 2 de outubro de 2013 - 10:49

Não poderia deixar de dizer: fundo rosa desnecessário e incompatível com a boa leitura. Isso ilustra bem a intenção do texto: usar um fundo forçado para impor uma tendência…
Que cada um colha do amor que plantar: do amor tarado, colha taras; do amor contratado, colha segundas intenções; do amor fugaz, colha ressentimentos. Escolha seu amor e plante-o. Depois colha seus frutos e coma-os. Satisfaça a si próprio, pois este é o único amor que se aprende sozinho.
Em Cristo, não na bíblia, há o Amor. Mas infelizmente hei de concordar que há pouco ou nada de Cristo nos homens que se dizem seus, logo, se nem os seus vivem o Amor, que se dirá dos seus opositores.
Enfim, Levítico não é referencia alguma se comparado a única referência atemporal e irrevogável, ensinada por Jesus: o Amor!
Entretanto, desde que o mundo é mundo o amor tem sido mal entendido e mal explicado, talvez por isso mesmo o próprio amor veio ao mundo demonstrá-lo…

Rubao – 2 de outubro de 2013 - 18:10

Falou tudo!
Infelizmente muita gente se auto-denomina “Protetores da Lei” e “Defensores de Deus”, embora Deus não pede por isso.
Pra variar avalia-se pecados de forma diferente, embora se deveria saber que nao ha diferenca em pecados.
Gosto da definição de Philip Yancey de pecado: “Prefiro pensar no pecado como algo criado por Deus, não para distruir nossa diversão, mas pra evitar que a gente se machuca”. Creio que o pecado ofende a Deus porque ele maltrata o homem e isso dói em Deus e não “porque é pecado e pronto”. Mentir, invejar, soberba, tudo isso e muito mais é tão pecado quanto adulterar, mas convenientemente atribui-se diferentes niveis de pecado, pra que nos deixem em paz pecando pecados menores.

Cândido Astrana – 2 de outubro de 2013 - 10:58

Se não acredita em Deus, não precisa criticar, tem as tuas idéias, que bom, alguém te critica por ser ateu? Quanto ao texto, muito bom, mas, Romanos 1:26,27 como já foi citado, nos diz através de Paulo o que pensa o cristão, agora, Deus é misericordioso e diz que todo o homem tem salvação, é só querer.

oliveira – 2 de outubro de 2013 - 11:15

sua argumenta~çao é infundada pelo fato de terusado um texto da lei,a.t.seus conceitos de Deus são ultrapassados e abusivos realmente so convence quem nao conhece a Deus.leia a rmãos, o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação.
Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento.

Romanos 10:1-2

Alex – 2 de outubro de 2013 - 11:16

Caro professor Wilson Gomes, antes de querer fazer qualquer dissertação sobre um livro bíblico, do ponto de vista judaico-cristão, você deveria saber que a hermenêutica no velho testamento para um cristão está no novo testamento…

Nenhum cristão considera o velho testamento como doutrina de fé e prática. O senhor cometeu um erro crasso…..

O velho testamento como o senhor no começo muito bem pontuou é uma riquíssima fonte histórica, antropológica e religiosa, mas que não serve pra fé cristã sem o filtro do novo testamento…

Se o senhor lesse as epístolas de São Paulo no novo testamento entenderia perfeitamente o que estão escrevendo, e poderia reescrever esse texto…..

Rubao – 2 de outubro de 2013 - 18:15

Alex, com todo respeito acho que vc esta um pouco equivocado, pelo menos nos seus termos. O verdadeiro Cristão segue a Cristo e este sim bate com sua descrição de cristão. Mas a maioria que se auto-entitula “Cristao” sao pessoas odiosas que adoram esfregar escritura na cara dos outros. Pra esses o velho testamento é até mais importante que o novo e acho que é pra esses que o artigo foi escrito.

Um abraço

inalda – 2 de outubro de 2013 - 13:36

incrível as xarias do século 21! Que bom que o meu Jesus disse “está tudo pago” e na Sua graça não preciso julgar e nem ser julgada. Gostaria de ver um comentário sobre Mateus 25:31-46 (só uma sugestão de quem gosta de ler). Abraço!

Gabriel Derlan – 2 de outubro de 2013 - 13:47

Dou-lhe razão quanto ao fato de o livro de Levítico ser utilizado para doutrinar (dogmatizar), e julgar a igreja Cristã e a sociedade contemporânea. Falo isso porque quem é Cristão, deve tomar o Velho Testamento como embasamento histórico. Cristão crê no que Jesus Cristo disse, e não apenas em fatos isolados do Velho Testamento. E mais errado ainda do que utilizar tais textos como base, é Julgar. Cristãos são chamados para espalhar as boas novas, a vinda de um Deus materializado em Homem, que estaria disposto a morrer para livrar o mundo todo da morte. Contudo, ao invés disso, muitos estão perdendo seu precioso tempo com julgamentos. Sua opinião é muito bem trabalhada, admiro isso. Entretanto, ao meu ver, quem é Cristão deveria ter mais respeito com quem não quer ser. E quem não é Cristão deveria ter respeito com quem é Cristão. Longe de ser mais um louco a discutir cegamente, tenho certeza de que o mundo seria muito mais confortável se a opinião do próximo fosse respeitada, independente da área: Religião, trabalho, times de futebol, música, entre tantas outras coisas. Não teríamos mais homofobia, bibliofobia, homofobiblias, e tantas outras coisas. Como diz uma música por aí, “cada um no seu quadrado”. Menos guerra para o mundo, e mais respeito!

laís – 2 de outubro de 2013 - 15:05

quem quiser ser homossexual, bissexual etc etc não estou nem aí, é tanta preocupação sobre o que Deus pensa ou acha sobre isso, não se preocupem, não tem porque se preocupar, depois da morte estará a resposta pra todas as perguntas. Agora não seria a hora!?

Eber Pedro – 2 de outubro de 2013 - 15:24

Professor,

Reescreva este texto a partir da ótica da epístola aos Romanos.
Também gostaria de informar que há definições biblíacas para o Amor.

Aprenda Hermenêutica Bíblica !

jairo venancio – 2 de outubro de 2013 - 17:11

Quando se faz uma análise tendenciosa querendo descaracterizar o texto dá nisso aí.
Wilson, você colocou o que você quis, não entendendo nada do evangelho nem do evangélico.

Rafa Waka – 2 de outubro de 2013 - 17:40

Deus me disse que eu deveria cagar agachado, mas nem por isso vou condenar a privada moderna que nos obriga a cagar com os joelhos em 90 graus, causando hemerróidas e outros sérios problemas no cólon.

inb4: Deus te disse?

reginaldo – 3 de outubro de 2013 - 1:59

ler sem entender é como comer sem saciar -se.olhar sem enxergar.E por fim falar sem pensar. a BIBLIA é para ser lida(observada),entendida(guardada no coracao). e se puder posta em pratica.

Maria das Graças – 9 de outubro de 2013 - 15:07

Impressionante como a falta de conhecimento de causa acaba descontextualizando o conhecimento de uma religião inteira. Na verdade, quem “fundamentalizou” o livro bíblico foi você. Somente os religiosamente ineptos e os analfabetos funcionais conseguem esta proeza.

Alex – 13 de outubro de 2013 - 0:02

Eu entendo que algumas aplicações fora de contexto podem influenciar pessoas, quando na verdade há um propósito a defender por trás disso. Alguns pontos historicamente estão bem narrados, porém em muitos lugares mal aplicados e preconceituoso. Mas nem tudo que está na Bíblia deve ser copiado por nós, por exemplo: Davi caiu em adultério. Isso não quer dizer vamos imitar Davi e depois pedir perdão. É preciso analisar a Bíblia de acordo com seu tempo e contexto, pois algumas coisas foram escritas para aviso nosso ou figuras que exprime lições de boa conduta para o povo de Deus, mas também não queira interpretar a Bíblia como se ela tivesse sido escrita no Brasil na língua Portuguesa e no século XXI, ai também já é demais.

Renan Lessa da Costa – 6 de novembro de 2013 - 18:04

Infelizmente, muitos líderes de cultos que se utilizam da bíblia para atacar os homossexuais, o fazem sabendo de toda a incoerência de suas próprias palavras, mas contando com a ignorância dos fiéis que, em sua maioria, nem se dá ao trabalho de realmente ler a bíblia que tanto louvam. Provavelmente muitos desses líderes nem acreditam mesmo que o deus deles odeia os homossexuais, se é que realmente acreditam em algum deus, mas fazem essa caçada pois “ter um inimigo” dá ibope e gera dízimo.

paulo – 19 de janeiro de 2014 - 11:50

Olá prof. Wilson Gomes !
Achei bastante interessante o seu empenho
em tentar defender e justificar as praticas abominaveis do homosexualismo. Vc disse também, não haver em Deus nenhum vestígio de amor, que Deus é assustador, ciumento e não tem a menor noção de direiitos humanos e misericórdia . Pois bem, Wilson, as suas críticas ao Deus de levítico me fizeram pensar a respeito de todas as coisas q acredito até hoje, e estou disposto a queimar a minha biblia,e a negar a minha fé no Deus de Levítico, mas para isto acontentecer vc ou todas as pessoas q defendem o homoxesualismo, deverão apresentar pra mim um projeto para a humanidade q seja melhor que o que Deus tem para a humanidade, pois se as coisas q Deus criou não são baseadas no amor, logo não vamos precisar de nada q ele tenha criado para a humanidade. Então, pra começar, não vamos mais respirar o oxigênio q ele criou, não vamos mais beber da água q ele criou, não vamos mais comer nenhum dos alimentos q ele também criou, e nem vamos dormir, e nem vamos usar nada q tenha vindo do solo q ele criou, mas vamos apenas, usar dos projetos q vc, professor Wilson, e os homosexuais apresentarem, certo? Até porque, com um projeto igual ao vc deverá apresentar, não vamos precisar de um projeto incoerente como o é o de Deus, segundo você, não é mesmo?
Pois bem, prof. Wilson, quando seu projeto estiver pronto me apresente. aqui está meu email : correps@hotmail.com

luciano – 24 de janeiro de 2014 - 10:28

As. Pessoas falam de amor. Que os crentes nao os amam como Deus quer mas na verdade os crentes em Jesus cristo sao crentes por creem nas coisas que estao escritas na biblia e eles entendem que quando eles falam para as pessoas alguma coisa que esta escrito na biblia que e errado, que e errado aos olhos de Deus eles acreditam que fezendo assim estao dempstrando amor ao proximo.Bom amigos vamos penssar um pouquinho juntos ok e se fosse verdarde. …Nao seria entao Deus nos alertando atrvez deles???pois e eu estou refletindo tudo isso ate porque eu creio em Deus comp o pai selestial e sei que ele se preocupa com todos os seus filhos ate mesmo com o que eles fazem se esta certo ou errado.vamos penssar um pouco nisso pessoal e vamos melhorar…..

[…] Gomes, professor da UFBA, escreveu um texto sensacional na revista Geni sobre o Levítico, um livro da Bíblia utilizado por muitas pessoas […]

Mary – 11 de março de 2014 - 16:21

“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”. 1 Coríntios 2:14.

Muito embora, o texto do livro de Levítico, capítulo 18, versículo 22 (no Velho Testamento: falando ao povo de Israel) aborde não, apenas, a questão do homossexualismo, mas, condena, também, outros tipos de pecado, o Novo Testamento em Romanos 1, versículo 22 – 27, convalida tal ato como pecado para a sociedade moderna.

“Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro”.
Romanos 1:22-27.

Abraço a todos!

marcão – 25 de abril de 2014 - 9:47

Li avidamente seu texto, muito rico as interpretações,
li também todos os comentários. meu pai me dizia que o
elogio nos acomoda e as críticas nos faz melhorar.
Não só os Levíticos mas todos os livros estão cheios de
incoerências. Creio que se não tivessemos acesso á Bíblia,
sentiriamos a presença de Deus da mesma forma que Moisés,
que nunca leu a Bíblia e foi um grande líder espiritual.
Os agnósticos acreditam de uma forma diferente da nossa.
Parece que estou fugindo do tema homofobíblico, mas é tudo
discriminação, e se dissermos que existe homossexuais que
nunca deram o rabo? so espiritualmente?

Heitor – 24 de junho de 2014 - 1:02

Bom já que é para decifrar textos bíblicos lá vai: deus condena o adultério desde que ele criou o homem, certo, tendo em vista que o homem deixara pai e mãe e únirar _se_a a mulher e ambos serão uma só carne, certo? Por que Davi e seu filhe8 slalomão tiveram quase mil mulheres ? R por que a lei da época não a de deus permitia que o homem tivesse quantas mulheres coubessem no seu bolso, como é para até hoje em alguns lugares daaquelas bandas, certa vez meu pastor me falará que deus tolerava por que era a lei na época. Hoje eu pergunto aos teólogos se hoje é lei que o homem pode casar com outro homem Deus também tolera , pois esta escrito que o que for ligado na terra será ligado nos céus. Ou seja o que for dado como lei para sociedade é lei aceito por Deus também. Esse tema do livro de leviticos já não cola mais, tendo em vista que Davi e era considerado um homem segundo o coração de deus. E seu filho slalomão com suas setecentas mulheres e trezentas concumbinas . Ou seja Os gays podem até serem cristãos segundo a bíblia, ou estou errado?

Otávio Pereira – 1 de julho de 2014 - 10:43

O que vejo aqui são textos confusos e desconexos. Para falar sobre opiniões de pessoas baseadas na bíblia, claro que temos que utilizar as passagens nela contida, outro sim é aferir com outras passagens que falam sobre o mesmo tema onde o LIVRO expressa um ensinamento onde vemos que tem claro sentido de verdade.
Nos dias de hoje é impossível se atribuir como normal o ajuntamento de pessoas do mesmo sexo, a naturalidade deste assunto é simples, pois baseado na principal característica de Deus e de toda a natureza ligada a ele, pessoas do mesmo sexo não gera prole e vida portanto, o homossexualismo não é e nunca será normal.
Outro termo utilizado muito pelos simpatizantes e empregado de forma errônea pelos meios de comunicação, é a palavra homofobia, não podemos atribuir como intolerância a liberdade, de se pautar a vida em base tão solida que é a multiplicação da espécie de forma natural entre macho e fêmea.
Homo afetividade também é um termo empregado entre o amor puro e fraternal entre pessoas do mesmo sexo e não entre “Paixões” carnais e desejos sexuais.
Pode existir homo afetividade entre irmãos, pães e filhos e etc.
Significado de Homo . O que é homo: Homo sm (lat homo) Gênero (Homo) de mamíferos bípedes, tipo e único representante …
Significado de afeto . O que é afeto: Sentimento de carinho e amor.
Portanto distorcer o sentido real das palavras não é coerente para se justificar algo anormal.

JUNIOR OMNI – 18 de julho de 2014 - 18:10

_______________________________-

_________________________________________________________
Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus?
Não se enganem:

Nem os DEVASSOS,
Nem os IDÓLATRAS,
Nem os ADÚLTEROS

Nem os EFEMINADOS, do Grego: MALAKOI = Gay Passivo

Nem os SODOMITAS, do Grego: ARSENOKOITAI = (Gays Ativos / Prostitutas / Pedófilos / Lésbicas)

Nem os LADRÕES
Nem os AVARENTOS
Nem os BÊBADOS
Nem os MALDIZENTES
Nem os roubadores herdarão o reino de Deus…

1 CORÍNTIOS 6:9-10
__________________________________—-

Jessica Cristina – 22 de setembro de 2014 - 18:19

Nossa quanta bobagem pra defender homossexuais, ninguem é obrigado a aceitar nada e achar lindo, não defendo e não ataco, mas são seres humanos deixa eles em paz, é oque querem eu acho, só isso, eu adorava o Félix era meio bi delícia…

Maria Aparecida – 21 de outubro de 2014 - 8:58

Os livros Êxodo, Levíticos e Números são os livros da lei de Deus. Eram leis moral, civil e religiosa. As civis são leis do Código Civil usadas até hoje. A moral também são empregadas para o respeito ao povo. Quanto ao homossexualismo, realmente Deus condena, pq a base da sociedade é a família, foi o que Deus criou: “homem e mulher os criou, sede fecundos multiplicai e enchei a terra” (Genesis 1:27-28). Porém, homem com homem e mulher com mulher, não é possível ser fecundo e multiplicar, por isso Deus abomina mesmo e Ele não é mentiroso, pois Jesus disse: “céus e terra passarão, mas minhas palavras não passarão. Então a verdade foi dita, todos ouviram e não haverá desculpa de que não conheciam e “assim pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Romanos 14:12) e “todo o joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor” (Filipenses 2:10-11).

Jessica – 25 de outubro de 2014 - 11:09

Em primeiro lugar, jornalistas, pesquisadores, acadêmicos e etc deveriam pesquisar mais e entender mais de um determinado assunto antes de escrever sobre, evangélicos não querem que esse livro seja a normal e o farol da vida de ninguém, tampouco se sentem parte da comunidade israelita da época que viveu (e ainda vivem porque não reconhecem o Messias) sobre essas leis. Os evangélicos acreditam em Jesus que morreu para redimir os pecados e dar salvação mediante a fé, isso significam que, hoje, vivemos a graça de Deus e não essa lei que você, precipitadamente, diz que queremos que seja norma e farol.
Além disso, se essa revista virtual “nasce do compromisso com valores libertários e com a luta pela igualdade e pela diferença.”, não devia usar de ofensas infundadas contra um grupo a fim de defender outro. Os homossexuais tem todo o direito de viverem o que quiser, se eles não aceitam os parâmetros da religião, mas eles não tem o direito de fazer a religião mudar sua postura, bem como a religião não tem o direito de desrespeita-los. Isso sim é luta por igualdade e diferença, que cada um possa conduzir sua vida como quiser sem ser ofendido pelo outro. Seu post não é luta por igualdade e diferença, é apenas anti-semita e cristofóbico ao mesmo tempo.

andrea – 9 de novembro de 2014 - 13:58

A BIBLIA É BEM CLARA QUANDO DIZ QUE DEUS CONDENA O HOMOSSEXUALISMO,RELATA TAMBEM QUE O HOMOSSEXUALISMO É UM PECADO

GDRGR – 9 de novembro de 2014 - 14:00

há pessoas q ficam tentando encontrar uma brecha na biblia para fazer as cabeças das pessoas tentando convencer do contrário

rererere – 9 de novembro de 2014 - 14:06

o proprio deus é q condena o homossexualismo e nada mudará isto. ele ama o pecador mas odeia o pecado

wander – 15 de novembro de 2014 - 21:54

pro baitola que gosta explicar as leis explica pra mim levitico 20/03

Beto – 23 de dezembro de 2014 - 8:14

Todo respeito pela profissão professor. Mas, eu acho que esse cara tem a mente confusa uma coisa, totalmente sem nexo. Chega a dar depressão é de uma total perversão. Coitado!!

Caio – 17 de fevereiro de 2015 - 12:30

Cuidado com a formação de opniao!!
“”Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?
Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.””

1 Coríntios 6:9-10

Carlos – 27 de fevereiro de 2015 - 16:28

Olha cara, na boa, você precisa estudar pra não fazer uma crítica tão sem fundamento como essa. Já ouviu falar em contexto? Em arqueologia? Em exegese? Você é “professor titular da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia.” com uma leitura dessas sobre esse texto e qualquer outro da bíblia não dá para dizer que você é professor. A Bíblia mesmo sendo a Palavra de Deus revelada, ainda é um documento milenar, que como qualquer outro, necessita de interpretação correta. No cabeçalho do texto eu vi as palavras “jornalistas, acadêmicos, pesquisadores, artistas, militantes”, me desculpe mas essa crítica não se enquadra em nenhum tipo de texto que eu imagino sendo escritos por qualquer desses profissionais.

Manuel Romário Saldanha Neto – 10 de abril de 2015 - 9:47

Para a Bíblia e seus seguidores os LGBT devem ser literamente executados e mortos.

“Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a mor­te. Levítico 20:13

Por séculos, o fundamentalismo judaíco-cristão, personificado nas suas várias denominações religiosas, institucionais e culturais, promovem um verdadeiro massacre e extermínio humano contra a diversidade, ao grupo social de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, transexuais, e transgêneros (LGBT) e minorias em geral.
Baseados na Bíblia, seus seguidores pregam discursos de ódio, guera, e morte aos LGBT, perpetrando uma contínua, e brutal perseguição.

As citações bíblicas e evangélicas contra os homoafetivos são muitas, e tem um único objetivo: a morte dos LGBT.

Vejamos algumas partes deste apostolado do ódio homofóbico:

1 – “Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a mor­te. Levítico 20:13

2 – “Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante. Levítico 18:22

3 – porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e o coração insensato deles obscureceu-se. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão. Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam. Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis. Romanos 1:21-31

4 – Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos e, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. 1 Coríntios 6:9-10

A grande interdição aos LGBT, vem dos principios fundamentalista judaíco-cristão, presentes na bíblia, e difundidos em todo o ocidente.
São princípios naturalistas-econômicos-culturais e religiosos, de que a sociedade deve reproduzir-se, enquanto processo de perpetuação da espécie, ou instinto de sobrevivência, marcado pelo binômio simplista- homem e mulher. Deus criou o homem e a mulher o resto é criação do demônio.

Estas correntes culturais de fundo religioso, remanescentes dos perídos mágicos e míticos da história humana, entendem que os LGBT, são seres demoníacos e estéreis, ou seja, seres que não reproduzem, e não participam do processo econômico de produção social, pelo simples fato que alguns optam por não terem filhos, o que não é verdade, e tal opção não invalida que os LGBT sejam seres produtivos, e façam parte da cadeia produtiva, produzindo e reproduzindo a força de trabalho, e consumo por outras vias.
O capitalismo avançado ja percebeu a fragilidade de tais argumentos religiosos conservadores, e muitas formas do socialismo também, daí que certas sociedades mais avançadas, digamos assim, já incorporaram os LGBT, como força produtiva e muito atuante dentro do sistema de organização social.

Sociedades tradicionais, como a brasilieira, com todo seu fundamentalismo econômico-cultural baseado, na ética judaíco-cristã, de 2000 anos atrás, perpetuam velhas ideias, que ao invés de incorporarem os novos modo de produção social, nos quais os LGBT são plenamente incluídos, preferem descartá-lo como marginais e minorias, ou explicitamente persegui-los como demônios e pregar seu extermínio.

Estas doutrinas judaíco-cristãs fundamentalistas encontram grande apoio na sociedade e cultura brasileira, isso se deve em parte por tres motivos: pelo primitivismo de nossa formação social, pelo caráter incipiente de nossa ecomonia arcaíca, e pela incapacidade de se instaurar um Estado de direito laico, onde todos seriam iguais, se houvesse justiça.
A continuar esta lógica perversa e fundamentalistas os LGBT continuaram a ser assassinados impunimente, sobre as ordens explicitas da bíblia.

LGBT DE TERREIRO, MNU-LGBT, NÚCLEO DE CIDADANIA HOMOAFETIVA DA UFPE.
Manuel Romário Saldanha Neto
MESTRE PELA UFPE
ESPECIALISTA EM DIREITOS HUMANOS E ARTE-EDUCAÇÃO PELA UNICAP
filósofo, arte-educador, agente sócio-cultural
MNU MOVIMENTO NEGRO UNIFICADO-LGBT
LGBT DE TERREIRO E COMUNIDADE
NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA HOMOSSEXUAL DA UFPE
Especialista em a língua yorubá no Brasil- Pela UNICAP\CEPIR
Professor na Prefeitura do Recife
Ativista Anistia internacional
http://www.amnesty.org/en/user/manuel-romario-saldanha-neto
FACEBOOK
https://www.facebook.com/lgbtterreiro.lgbttc
manuel.saldanha@hotmail.com
Endereço para acessar Currículo:
http://lattes.cnpq.br/2489286774040948
(81) 96473310 tim
(81) 83160191 oi

Antognony – 25 de abril de 2015 - 20:55

Quis Deus que encontrasse este artigo,primeiro julguei que fosse credível e de interesse, depois de ler grande parte verifiquei que não e apenas servirá para confundir os incultos e favorecer os que tem prazer no pecado. Daí que espero que o que aqui escrevo seja útil para abrir algumas consciências.
Moloch é um demónio e com ele arrasta para a confusão todo o mundo!
O porco é referido em toda a bíblia com um animal imundo e a sua anatomia não permite que olhe para o céu. O homem consegue, mas no entanto não enxerga nada do que vê. Sabem por acaso o que faz a Geoengenharia, sabem o que são chimetrails, os seus efeitos e quais os seus objetivos?
Repare no que está acontecendo hoje em dia, de forma acelerada e bíblica, com toda a loucura e depravação a que se chegou. A transgressão das leis de Deus levou a que chegássemos a este ponto de não retorno. O niilismo é como uma maça podre que se coloca junto numa cesta com outras maças. O resultado é esperado e não é mais do que a mera aplicação da lei de causa e efeito.
Há que despertar enquanto é tempo e deixar de fazer como a avestruz que quando se sente ameaçada enfia a cabeça na terra.
“Assim separareis os filhos de Israel das suas imundícias, para que não morram nas suas imundícias, contaminando o meu tabernáculo, que está no meio deles.”
Levítico 15:31

gislei brasil – 28 de abril de 2015 - 21:58

muito bom o texto.

Leopoldo Firmino – 12 de maio de 2015 - 7:32

Queimarás no fogo do inferno.kkkkkk

Gilvan – 18 de maio de 2015 - 23:30

Usando velho testamento?? Depois vem dizer que a Lei de Deus também foi abolida por estar no velho testamento. Francamente um CRISTÃO de verdade não é homofóbico, homofóbicos são aqueles que sem Deus no coração punem os gays por seus fracassos e medos. Quero que um homossexual se converta e seja salvo, não tenho medo nem ‘nojo’ deles, quero que eles venham para Jesus e mudem de vida. Quero isso para você também

DARCIENE – 11 de junho de 2015 - 1:56

UM CONTEXTO DENTRO DO TEXTO QUE VIRA PRETEXTO! …… HOMOSSEXUALISMO E PECADO .POREM NÃO E UM PECADO ISOLADO,NÃO EXISTE PECADINHO PECADÃO…HOMOSSEXUALISMO E PECADO DA MESMA FORMA QUE ROUBAR, FALAR MAL DO PROXIMO ADULTERAR! ENFIM ENTRE OUTROS!…A VIDA DO CRISTÃO NÃO TEM QUE ESTAR BASEADA EM JULGAR O COMPORTAMENTO DO OUTRO.POREM ORAR,PREGAR E APRESENTAR UM DEUS QUE LIBERTA E SALVA,ÉSSA E A NOSSA FUNÇAO ..LEVAR AO MUNDO A SALVAÇAO,POREM NÃO PODEMOS CONCORDAR E ACHAR QUE É NORMAL TAIS COISAS,,,,, MAS INFELIZMENTE HOJE EM DIA NÃO POSSO NÃO CONCORDAR COM HOMOSSEXUALISMO QUE JA SOU HOMOFOBICA,..SÃO DUAS COISAS DIFERENTES (NÃO CONCORDAR E JULGAR O HOMOSSEXUALISMO OU QUEM PRATICA TAL COISA) E ISSO O QUE CHAMAM DE HOMOFOBIA NÃO ESTA SABENDO DIFERENCIAR!

Irenisia – 12 de junho de 2015 - 13:03

A homofobia é um preconceito, um ódio irracional, uma incapacidade de aceitar o outro que é diferente. Os homofóbicos não estão seguindo a Bíblia; eles usam a Bíblia — selecionam as passagens adequadas — para apoiar seu ódio e intolerância. Se um dia conseguirem superar esses maus instintos, vão encontrar na mesma Bíblia as passagens que dizem para amar e aceitar o seu próximo.

[…] indevido – e Jesus Cristo em pessoa não consideraria. Sobre o “olho por olho”, há umtexto muido divertido de Wilson Gomes, que explica os limites óbvios que há em tentar se levar o antigo testamento ao pé da […]

Alexandre – 23 de junho de 2015 - 17:13

Mesmo não estando ligado a nenhuma designação religiosa, esforço-me por seguir alguns dos princípios cristãos, tais como o que se expressa na fala atribuída a Jesus “amai-vos uns aos outros como a mim mesmo”, e busco julgar com parcimônia e com a lembrança de que somos todos humanos, portanto, falhos e erráticos.
Apesar de julgar (porque se não o fizesse não saberia a diferença entre o “bom” e o “mau” caminho), esforço-me em não cair na tentação de tomar para mim a derradeira tarefa de “condenar” quem quer que seja. Creio no livre-arbítrio e, portanto, no direito sagrado de cada um decidir o caminho que mais lhe aprouver, mesmo que isso possa ser trágico ou levar a uma condenação (seja ela espiritual e/ou jurídica).
Na minha opinião, cada um faz com seu corpo o que quiser, o que lhe aprouver. Caso eu discorde, tenho o direito de expressar minha opinião, mas não o direito de exigir que o outro siga minhas crenças e meus hábitos. Se para muitos a homossexualidade é um pecado, para outros é um prazer. Nesse caso, creio eu, o primeiro deve respeitar o segundo e o segundo deve respeitar o primeiro, mesmo que não concordem um com o outro e (para quem crê) que Deus decida seus destinos na hora em que achar conveniente para isso.
Não temos que condenar ninguém, isso é atribuição de Deus. O máximo que devemos fazer é alertar as pessoas sobre as coisas que acreditamos que elas estejam fazendo de errado, dai em diante não é mais conosco (a não ser que a pessoa, em questão, peça nosso auxílio), mas com ela própria e (repito uma vez mais, para quem crê) com Deus.
Pelo que entendo, a tarefa do “povo de Deus” seria, 1º, viver, eles próprios segundo os mandamentos divinos e, 2º, levar as “boas novas” ao mundo – mas sem exigir ou obrigar que os demais a aceitem. As pessoas devem seguir os princípios (seja de qual religião for) se o coração delas assim o ordenar e não porque alguém ordena, isto porque cada um é senhor e senhora de si mesmo/a.
Quanto aqueles que falam que a homossexualidade “não é natural” ou “não é normal” logo penso que “natural” é o que vem da natureza e, assim, tudo que ocorre no mundo é natural, incluindo tudo o que achamos ruim e errado, posto que nasce na natureza (o plástico, por exemplo, mesmo sendo um produto sofisticado, artificial, se origina de matérias primas naturais e é transformado pela natural aptidão humana para a criação) Não é natural o que vem de outro mundo, como os alienígenas (para quem crê neles) por exemplo.
Já quanto a palavra normal podemos dizer que ela possui diferentes acepções que, em geral, giram em torno da ideia de que haja um tipo específico de conduta que é largamente empregado socialmente e que esta é tida como aceitável, enquanto que o seu oposto, o “anormal”, é condenado (para entender um pouco mais sobre isso vale a pena ler o texto de Leonidas Hegenberg, “Normalidade estatística” in: http://books.scielo.org/id/pdj2h/pdf/hegenberg-9788575412589-09.pdf). A questão aqui é que a um século não era normal – e, portanto, não era bem visto nem bem quisto – que as pessoas andassem em público trajando shorts, bermudas e/ou camisetas (isso porque essas peças ou eram “roupas íntimas” – como a camiseta -, ou eram similares a estas – nos caso da cueca samba canção, por exemplo) e hoje isso é absolutamente normal, isto é, “normal” e “anormal” (como quase tudo na vida humana) são produtos históricos, portanto são temporais, parciais e passageiros. A homossexualidade era normal na Grécia de 2500 atrás e não era na mesma Grécia de 100 anos atrás, assim como a mini saia não era normal a 100 anos atrás e hoje é.
Por fim, creio que devíamos ser mais humildes, e não ficarmos assumindo prerrogativas que não nos pertence (como condenar, que deve ser feita por juízes – segundo as leis de cada país – e, para quem crê, por Deus) e tendo um pouco mais de tolerância a opinião alheia, afinal quem nos fez infalíveis “porta vozes da verdade”?!
Temos de superar a “torre de Babel” em que vivemos, aprendendo a falar uma mesma língua: a do respeito e do amor ao próximo. Temos de aprender a ouvir e nos esforçar a entender as ideias que nossos semelhantes buscam expressar, ao invés de corrermos a criticá-los.

Alex – 23 de junho de 2015 - 21:36

Wilson Gomes; vou tentar ser o mais simples e transparente possível com meu comentário…!
Me desculpe á comunidade cristã se estiver sendo um tanto que atrevido em meus comentários, mas jamais serei irônico!!!!
Wilson, todos “nós” que nos dizemos cristãos, certamente temos uma Bíblia em casa…!!!
Então Wilson, aposto com certeza que em uma visão sua; os “bem aventurados” seriam de um modo superficial apenas os “aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nelas escritas, pois o tempo está próximo” (Ap 1.3). Sim, mas em seu texto li uma crítica sobre a palavra de Deus que acabou tornando-se uma discussão…
Citações corretas da Bíblia, mas vc só fez lembrar o q “tá escrito”!!!!!
Faltou algo em suas críticas,vc não acha????
Ex; pense como se deparasse com “pinturas em cavernas antigas”…!
Pois é, vc ver desenhos, mas o q realmente eles “significam”??!!
Tente relê-la, pois faltou “interpretação”!!!!!

VALDECI – 28 de junho de 2015 - 11:18

DEUS CONDENA O HOMOSSEXUALISMO SIM!!

O LIVRO DE LEVITICO FOI ESCRITO PARA O POVO DE ISRAEL.

EU NÃO VIVO NA LEI,VIVO NA GRAÇA!!!

EU SIGO ROMANOS 1.26 PARA CONDENAÇÃO DOS GAYS

Romanos 1:26-32
26 – Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
27 – E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
28 – E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
29 – Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
30 – Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
31 – Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
32 – Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

Fabiana – 29 de junho de 2015 - 8:45

Sejam moral, respeitem, temam e obedeçam a Deus !

JÉSSICA MARINHO – 29 de junho de 2015 - 10:01

Sim, existe a passagem de LEVÍTICO.
Aos inteligentes e intelectuais que se “acham” estudiosos da bíblia, que querem usar em debate ela própria para contradizer o que Jesus prega.
Não é preciso estudar profundamente sua história, para entender que o livro de Levítico foi escrito antes do nascimento de Jesus Cristo, ou seja, na época da lei. (Porque hoje nós vivemos na época da graça (A bíblia é dividida em Antigo e Novo Testamento)). Não vivemos no Israel antigo, nem estamos no deserto do Sinai, então não precisamos mais seguir algumas das leis mencionadas neste livro. Ao ler o livro de Levítico, o importante é entender que as regras de Deus para os Israelitas – Além de os ajudarem a sobreviver no deserto e a viver unidos em paz, mostravam o quanto Ele os amava.
Ler o que está escrito aqui, talvez seja complicado para alguns, pois preferem as palavras que ferem e machucam.
Agora em 1 Coríntios, livro do Novo testamento, escrito por Paulo d.c.
Paulo nos ensina como viver para Cristo em uma sociedade ímpia.
Capítulo 6.9 ao 11, Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes não terão parte no Reino de Deus. Alguns de vocês eram assim. Mas foram lavados do pecado, separados para pertencer a Deus e aceitos por ele por meio do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus.
O texto de Marcos 7,18 ao19: E ele (Jesus) disse-lhes: “Então, nem vós tendes inteligência? Não entendeis que tudo o que vem de fora, entrando no homem, não pode torná-lo impuro, porque nada disso entra no coração, mas no ventre, e sai para a fossa?” (Assim, ele declarava puros todos os alimentos.)
Esse ensinamento de Cristo é colocado dentro de uma passagem relativa ao puro e ao impuro. Esse tema em âmbito do judaísmo é amplo e, um dos seus aspectos, é o alimento. O fundamento bíblico se encontra em Levíticos 11. Sobre o porco fala, nesse capítulo, no versículo 7-8: tereis como impuro o porco porque, apesar de ter o casco fendido, partido em duas unhas, não rumina. Não comereis da carne deles e nem tocareis o seu cadáver, e vós os tereis como impuros.
De um lado os judeus-cristãos pretendiam observar os preceitos que haviam aprendido em casa, nas suas famílias que praticavam a religião judaica. E nelas os preceitos descritos em Levíticos eram observados. Do outro lado existia a pressão dos gentios, que vindos do mundo helênico, não queriam observar tais prescrições. O auge desse conflito é descrito em Atos dos Apóstolos 15, no Concílio de Jerusalém. Nessa ocasião o nó da discórdia era a circuncisão, que os de origem hebraica queriam impor aos gentios. Esse concílio deliberou que aos gentios não fosse imposto nenhum peso “além destas coisas necessárias: que vos abstenhais das carnes imoladas aos ídolos, do sangue, das carnes sufocadas, e das uniões ilegítimas” (Atos 15,28-29).
*O único Perfeito e Santo é Jesus, não eu. Apenas não posso me calar diante de uma calúnia que está ferindo o nome D’Ele, em quem eu creio e confio, toda a minha vida. Líderes religiosos tem um monte, certos, errados. Cristão, Católicos, Espíritas, Budistas tem mais um monte. Ahhh ladrão, assassino, prostitutas, adúlteros tem mais de milhões. Mas Jesus Cristo só tem um.
Se você acredita realmente na bíblia e em Jesus, tenho certeza que compreendeu o que aqui foi escrito. Agora, se você não crê em Jesus, de nada resolve o que está escrito aqui. Então concluo que você não deve continuar declarando e escrevendo sobre o que não sabe.
Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
1 Coríntios 2.14

Leandra – 30 de junho de 2015 - 13:14

Romanos 26-27, são bem específicos. Já do 28 ao 32, serve para toda a raça humana, ou seja vamos largar de hipocrisia!!!
Se a salvação é individual, cada um que arque com as consequências.

Monica – 20 de julho de 2015 - 15:12

Tem gente q se arvora a ser Deus… Agora querem fazer julgamentos terrenos? É apedrejamento, é fogo, morte aos homossexuais, ao povo de terreiro e ao q mais? Agora tal como nos países do oriente teremos guerras em nome de Deus? É um mi, mi, mi, de Deus do Levítico deus dos romanos, qto serão? Deixem p Deus o q é de Deus, cuidem da sua própria salvação e deixem os outros em paz. Pensem mais em cristo q morreu por todos os pecadores, pensem mais no mandamentos não matará, amara ao teu próximo coma a ti mesmo. Quem não tiver pecado q atire a primeira pedra, ou até mesmo Deuteronômio 41-42 : Então respondestes, e me dissestes: Pecamos contra o Senhor; nós subiremos e pelejaremos, conforme a tudo o que nos ordenou o Senhor nosso Deus. E armastes-vos, cada um de vós, dos seus instrumentos de guerra, e estivestes prestes para subir à montanha.

42 E disse-me o Senhor: Dize-lhes: Não subais nem pelejeis, pois não estou no meio de vós; para que não sejais feridos diante de vossos inimigos.
Realmente para aonde estamos caminhando?

Leia Rodrigues – 26 de julho de 2015 - 19:48

Como tem pessoas que realmente não lê a bíblia acompanhada do Santo Espirito de Deus, livros antigos da bíblia tem profecias para o nosso tempo, é absurdo que algumas pessoas dizem que a bíblia é cheia de violência e incoerência, tudo que acontece na humanidade está na bíblia, ela contou a história antiga com profecias para 2000 anos à frente, todas as profecias, comportamento, quedas de grandes nações já se cumpriram em partes, o restante se cumprindo, as pessoas que não estudam a bíblia ficariam pasma em saber todas as verdades deste livro maravilhoso, a bíblia já falava em idolatria, hoje um grande número de humanos se ajoelha perante imagens e dizem que não é idolatria, não se perguntam o porquê de se ajoelhar perante imagens, se a bíblia inteira condena este ato, A Santa Palavra já falava em homossexualismo, últimos tempos, guerras, queda de nações, corrupção, queda da moral, destruição da família, perseguição a quem segue a palavra de Deus. Jesus disse em Lucas 21:11,31 ” Nos últimos tempos haverá grandes terremotos, fomes, pestes em vários lugares…” de acordo com o almanaque mundial de 1999 século após século da era cristã tem aumentado de forma substancial os terremotos, nos séc. 18 foram 6 terremotos, séc 19 foram 7, no séc. 20 mais de 100, Em II Timóteo 3:1-5,13 Jesus fala na decadência moral “Saiba que nos últimos dias sobrevirão TEMPOS TERRÍVEIS, os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do amigos de Deus…” a bíblia no evangelho de Daniel já falava no avanço tecnológico “Nos últimos tempos muitos irão por todo lado em busca de maior conhecimento” Daniel 12:4 em Êxodo, Levítico, Números, Isaias, Deuteronômio entre outros livros há grandes profecias que tem se cumprido por toda a história da humanidade, sobre grandes 7 nações que já se ergueram no mundo e caíram e agora está na sétima e última nação segundo a bíblia, portanto meus amigos, respeitem sim a opinião dos outros ou comentários, MAS BUSQUEM VOCÊS A VERDADE, não com fanatismo ou medo do que possa acontecer, mas para se livrar da escravidão das mentiras do mundo.
O inimigo era um anjo de Deus, no seu coração brotou uma inveja e ele convenceu uma terça parte dos anjos de que Deus era opressor, e que todos poderiam viver sem Deus, este inimigo luta dia e noite PARA VOCÊ achar a mesma coisa, por isso o mundo se tornou algo tenebroso, e vai piorar…
Dois versículos
“Toda a humanidade jaz (ou caminha) no poder do inimigo”
“ Conheça a Verdade e Ela te libertará”
Seja LIBERTOS meus amados, não sejam enganados por ninguém, abram os olhos, querem tirar os créditos da Palavra de Deus PARA QUE VOCÊ SE AFASTE, vire um zombador e PERCA SUA SALVAÇÃO.

Gustavo – 12 de agosto de 2015 - 23:22

Meu Deus…. Quero ver vc fazer um texto desses sobre as partes q condenam os homosexuais no Novo testamneto, pois a leis passaram, quando Cristo morreu na cruz, a lei foi aulada, já estamos na graça….!!! É coomo a questão do sábado… Naun q as Levtico n seja importante, mas q tudo q diz no Velho Testamneto passa por um Filtro q é o NOVO TESTAMNETO!!

Ronaldo – 15 de agosto de 2015 - 21:30

Sobre a homossexualidade

Não há nada de errado com a homossexualidade. A homossexualidade é perfeitamente respeitável. A forma como ela vem sendo retratada, por várias tradições religiosas, como pecaminosa e prejudicial, origina-se da ignorância. Não há nada de errado em se sentir atraído por pessoas do mesmo sexo. Na verdade, a preferência pelo mesmo sexo ou pelo sexo oposto não é tão fixa e rigidamente dividida, como muitas pessoas pensam. Uma pessoa pode ser heterossexual e ser atraída por pessoas do seu próprio sexo. Existe uma escala móvel entre heterossexualidade e homossexualidade, e não uma fronteira fixa. A sexualidade está na alma, e não no corpo. Não é o corpo que direciona a sexualidade da pessoa.
O ser humano é bissexual por natureza. Há muitas teorias espiritualistas que afirmam isso, inclusive alguns estudiosos da psicologia também afirmam que o ser humano possui os dois sexos dentro de si, ou seja, que ele é andrógino. Porém, o grau de masculinidade e de feminilidade no ser humano varia. Um homem, por exemplo, pode ter dentro de si (em sua alma) uma porcentagem feminina bem maior do que a masculina. Nesse caso, a tendência de ele vir a se interessar por homens tem uma probabilidade bem maior. Mesmo um homem que tenha uma porcentagem feminina pequena dentro de si pode vir a ser homossexual. Basta que surjam oportunidades, experiências, educação, etc. É por isso que se veem homens másculos, mas homossexuais, ou seja, porque dentro de todo ser humano existem as duas sexualidades, e cada uma delas pode se sobressair por algum motivo.
Até mesmo no reino animal existe homossexualidade. Pesquisadores afirmam que o comportamento homossexual é bastante comum na natureza, e não é restrito a mamíferos; aves e insetos também o apresentam. E quem nunca viu um cão transando com outro cão? Alguém chamaria dois animais do mesmo sexo transando de imorais? Será que eles têm consciência da moral e dos bons costumes? Não. Faz parte da natureza. E quem criou essa natureza foi Deus. Ou alguém acha que os animais são conscientes dos seus atos?
Deus não criou apenas seres heterossexuais, criou também homossexuais, bissexuais, assexuados, hermafroditas, etc. Tudo é natural, e nada está errado.
As pessoas precisam ser respeitadas pelo que são, e não pelo que fazem da sua vida sexual. Há homossexuais que são pessoas maravilhosas, verdadeiros seres humanos, pessoas valiosas, que ajudam muitas pessoas com seu trabalho e solidariedade. Há heterossexuais que são assassinos, ladrões, estupradores, traficantes… e que se autodenominam “homens”, “heteros”. O que é mais importante? Está aí uma prova de que preferência sexual não tem nada a ver com moral.
É uma bobagem e perda de tempo combater a homossexualidade, porque é uma realidade da natureza que sempre existiu e que sempre existirá. Quem não tem um homossexual na família? Quem não tem, logo terá. E essa pessoa merece o desprezo, a rejeição, a crítica, a condenação?
Os grandes mestres da humanidade, sabiamente, não se pronunciaram sobre a homossexualidade. Eles sabiam que Deus não está preocupado se a pessoa é homo, hetero ou bi. Assim como Ele não está preocupado se a pessoa é feia ou bonita, rica ou pobre, casada ou solteira, tem curso superior ou não, etc. O que interessa para Deus é o aprimoramento moral. É tornar-se bondoso, tolerante, paciente, calmo, alegre, solidário, honesto, justo, etc.
Do ponto de vista espiritual, o que importa nos relacionamentos sexuais é como um se conecta com o outro de alma para alma. Sempre que existe uma conexão profunda, marcada por uma parceria verdadeira e respeito mútuo, o fato de o relacionamento ser entre homem-mulher, homem-homem ou mulher-mulher realmente não importa.

Autores diversos

Todos têm direito a ser felizes, independentemente de suas crenças ou opiniões.
As pessoas confundem ‘incomum’ com ‘anormal’. Tudo é normal, embora nem tudo seja comum.
Ser contra a união homossexual é andar na contramão da evolução humana e social. Essa história é velha na sociedade humana, mas, em geral, as pessoas não aprendem.

PEDRO ANTONIO – 21 de agosto de 2015 - 7:33

JESUS NAO VEIO REVOGAR A LEI, MAIS COMPRIR NESTE RASA É QUE DIGO NADA DO VELHO TESTAMENTO FOI A NULADO, FOI CRISTO QUEM DISSE ENTAO NAO VAMOS BRINCAR E TEMOS QUE ESTAR ATENTO COM AS COISA QUE TEMOS QUE FASER,” O PIOR PECADO E PECAR CONTRA O SEU PROPRIO CPORPO

Micael – 28 de setembro de 2015 - 10:49

Quando será que todos os homossexuais verão a inutilidade do texto bíblico? Se as “leis de Deus” condenam um ato e uma pessoa vive em razão desse ato (me refiro ao amor HomemXHomem e MulherXMulher.) logo o texto bíblico não lhe representa. Serve apenas para limpar a bunda no dia que faltar o papel higiênico…

Ubiratã Pinto – 26 de novembro de 2015 - 14:47

Boa tarde! Cheguei atrasado, talvez aos olhos humanos, mas gostaria de deixar minha contribuição, sou apenas um leigo, mas gozo do direito democrático da resposta. Queridos, realmente o Livro de Levíticos foi escrito para os israelitas, não nego isso, bem como todo o pentateuco e até mesmo os livros seguintes do Antigo testamento. Porem, Jesus veio para o seu povo ( João 1 ) mas o seu povo não o conheceu, mas todos os que o conheceram, passaram a ser chamados filhos de Deus. Bom aqui começa a certeza de que temos os mesmos direitos que os judeus no que se refere a Salvação; restauração e etc. E com relação a homofobia e a igreja Católica não gostar muito desse Livro, é algo bem contraditório; aliais contradição é dogma na religião Católica Apostólica Romana, mas vamos por partes; PRIMEIRO: Homofobia é ódio, aversão a pessoas que praticam ou apoiam a pratica disso. Se avaliarmos o texto, o homossexual não era permitido entre as doze tribos de Israel, não havia uma ordem de execução ou caça as bruxas para homossexuais; bem como nós cristãos nunca recebemos ordem ou algum discipulado para odiar um homossexual, persegui-los ou desmerecer seus valores pessoais por ele fazer suas opções intimas diferentes das nossas. SEGUNDO: A, I.C.A.R., não gostar muito de um Livro bíblico,é o mesmo que negar a fé. Pelo fato de a Bíblia ser uma biblioteca de livros interligados e dependentes uns dos outros para serem compreendidos como um todo. Mas claro! A, I.C.A.R., tem sua necessidade especial em proteger os costumes implantados na fusão do cristianismo ao paganismo nos primeiros séculos; a conveniência em proteger os desejos alienados de “PAPAS” e seus “BICHO-PAPÕES” cristo-paganista, que serviam para prender os fieis a suas leis radicais e tendenciosamente favorável a sua religião e não ao Deus altíssimo ou ao sacrifício de cristo pela humanidade.Logo o choque de pensamentos e propósitos; a “Bíblia diz” e a “I.C.A.R. ensina”. Ser ou não ser? Eis a questão. Quem pode lhe apontar a verdade? Uma religião que nasceu e amadureceu se contradizendo? Ou uma Palavra verdadeira que se reafirma a cada dia. Se confirmando diante de fatos inominavelmente inesperados em nossos dias, más já escritos ha milênios e seculos atras? Pense nisso! Não seja um eco. Deus te criou para ser uma voz. Pr. Ubiratã Pinto.

Max Benser – 15 de janeiro de 2016 - 15:50

MARIA CONTRA MULHERES E MENSTRUATION!
Das “schumtzige” Blut der Frauen und das “heilige” Blut des Mannes&”Jesus. C”

Sìlvio – 25 de março de 2016 - 10:49

Não me parece razoável fazer a defesa da homossexualidade a partir da crítica das bases morais que a condenam. Obviamente a homossexualidade não é normal, afinal, a relação sexual tem por finalidade a procriação. O prazer que a relação sexual proporciona, ou mesmo a volúpia, são elementos que a natureza (ou Deus) usam para tornar o ato atrativo. Tudo o mais são discussões inúteis de natureza moral, política e ideológica. Justificativas, pró e contra, para garantir uma aparência de conhecimento e de busca de aceitação.

Joana D'arc Barbosa da Silva – 20 de abril de 2016 - 11:18

Moço, o seu comentário, sobre a bíblia sagrada, e como vc se refere a Deus é de dá nojo, Deus é isso mesmo, doutrina, o caminho do senhor é estreito, Deus é um ser divino e imaculado, mas quem quiser viver em outros caminho tem toda a liberdade, é com diz no livro dos hebreus, Deus os entregou as paixões infâmias, mas não queira corrigir Deus não, e nem criticar as leis dele não, quem é vc? que não corrigi nem a si mesma, vc é um pó, que ao morrer vai virar carniça em 24 horas, Deus é supremo, é onipotente, ele pode tudo ele é amor, mas é justiça também, ele mata, ele dá a vida, ele abençoa, ele maldiçoa, ele faz o que quer, a vontade dele é soberana, operando ele quem impedirá? vc? então a melhor coisa que vc pode fazer é, se arrepender dos seus pecados, aceitar Jesus como seu único senhor e salvador para ser perdoado, Jesus está voltando, e depois que o homem entrar no inferno não vai ter mas volta não, vai ser eternamente.

HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>